A morte do romeiro

foi faca

1982. Canindé, cidadezinha da romaria de São Francisco, no sertão do Ceará.
Como foi – Era uma matéria sobre a seca no Nordeste para Veja. Luiz Martins, hoje professor da Universidade de Brasília, poeta, chegamos a Canindé às dez da manhã. Ao percebermos a movimentação num casebre no fim da rua, caminhamos até lá. Curiosos, olhamos a triste e silenciosa cena. Lá estava o cadáver de um senhor coberto com um lençol branco. Na altura do abdômen, duas flores vermelhas e uma estatueta do Padre Cícero.

Os parentes, filhos, netos, a viúva contristados, em torno da cama de madeira tosca e velas acesas. Assustados, não perguntamos a causa da morte. Não foi preciso. Uma senhora com cigarro de palha entre os dedos aproximou-se e nos sussurrou:

- Foi faca!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>