Mato Grosso

Cena Brasileira

Trio trio pif-paf

Pif Paf, OrlandoBrito pag

Eu viajava pelo interior do Brasil em busca de cenas e personagens para o livro Corpo e Alma, na década de 1990. Não deixei de ir a à pequena Santo Antônio do Leverger, perto da capital mato-grossense de Cuiabá, porque sempre foi lugar de muitas superstições e tradições. Há mistérios e histórias dos idos do século dezenove sobre o resgate da imagem de um santo milagreiro que desapareceu nas águas do rio que corta a vila. Era porto obrigatório dos bandeirantes que desbravaram o Centro-Oeste.
A tranqüila rotina da cidade só é quebrada no carnaval porque é tomada pelos turistas que para lá se destinam em busca de alegria no ritmo tipicamente regional da dança do siriri. E também nos feriados, quando os jet-skies e as lanchas esportivas movimentam o Rio Cuiabá. Porém o que mais diverte os moradores locais — gente simples, em geral, canoeiros, vaqueiros e pequenos agricultores — são as descontraídas partidas de pif-paf nas feiras de sábado. Vence o jogo o competidor que conseguir montar e baixar à mesa seqüências ou trincas com as cartas do baralho destinadas a cada um.
É o que faziam essas três risonhas e brasileiríssimas figuraças.

Orlando Brito

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>