Sobre Orlando Brito

Orlando Brito nasceu em 8 de fevereiro de 1950, em Minas Gerais. Chegou a Brasília ainda menino, no início da construção da nova capital do Brasil, no finalzinho de 1956. Seu trabalho abrange os temas da política e da economia, questões sociais, da vida urbana e do interior, terras, índios, esportes e, enfim, todos os assuntos Fez inúmeras viagens por mais de 60 países, em coberturas presidenciais, papais e esportivas, como copas do mundo e jogos olímpicos.

 

De 1968 a 1982, trabalhou no jornal O Globo. Depois, transferiu-se para a Veja, onde ficou por 16 anos e, em São Paulo, foi editor de fotografia da revista. Foi também editor de fotografia do Jornal do Brasil, no Rio, em 1988 e 1989. Atualmente dirige sua própria agência de notícias, a ObritoNews. Ministra cursos, workshops para grupos em empresas e aulas em uiversidades, faculdades e escolas de comunicação e jornalismo.

 

“Corpo e Alma” é seu mais recente livro, lançado em dezembro de 2006. Além dele, o fotógrafo Orlando Brito lançou quatro outros livros de fotografia, intitulados “Perfil do Poder” (1982), “Senhoras e Senhores” (1992), “Poder, Glória e Solidão” (2002) e “Iluminada Capital” (2003) e está presente em mais de de 30 outros, coletivos. Atualmente trabalha em três outros livros, simultaneamente.

 

Mereceu o prêmio World Press Photo do Museu Van Gogh, de Amsterdã, na Holanda, em 1979. Por onze vezes recebeu o Prêmio Abril de Fotografia, inclusive o de Hors-Concours. Mereceu a distinta Bolsa de Fotografia da Fundação Vitae, de São Paulo, em 1991. Prêmios de Aquisição da I Bienal de Fotografia do Museu de Arte de São Paulo-MASP e da Bienal Internacional de Fotografia de Curitiba. Tem fotografias no acervo de colecionadores institucionais e privados. Exemplo são a Coleção Pirelli, do Museu de Arte de São Paulo-MASP; o Museu de Arte Moderna-MAN, do Rio de São Paulo; o Instituto Moreira Salles; a Enciclopédia de Artes Visuais do Instituto Cultural Itaú. E, ainda no Museu Georges Pompidou, em Paris.

 

Fez várias exposições individuais, inclusive “Um Sonho Intenso”, apresentada no MASP, em São Paulo; no Museu da República, situado no Palácio do Catete, no Rio de Janeiro; No Teatro Nacional de Brasília e em várias outras capitais brasileiras. Na sede Federação das Indústrias, em Belo Horizonte, bem como na galeria da Caixa, em Curitiba, apresentou “Fotografia é História”. Participou de mais de quarenta exibições coletivas no Brasil e no exterior: Londres, Nova Iorque, Paris, Tóquio, Madrí, Lisboa, Basiléia, Buenos Aires, México e várias outras cidades.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>